Carregando...
X
Crie sua conta Bipp
Fale agora com um consultor ou preencha o formulário e entraremos em contato:
Blog
Blog
  • Entenda quais são os desafios da agricultura 4.0 para 2022

    22/03/2022

    Você sabia que oito em cada 10 agricultores brasileiros empregam pelo menos uma ferramenta de agricultura 4.0 na otimização da produção em suas propriedades? 

    Essa é a principal conclusão de uma pesquisa conduzida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em conjunto com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A pesquisa mostrou que as novas tecnologias já fazem parte do dia a dia de muitos produtores rurais, com cada um deles tendo benefícios significativos com isso. 

    No entanto, mesmo com os avanços, há muitos desafios que estes mesmos produtores terão que enfrentar em 2022 para adotar as tecnologias de agricultura 4.0 com eficiência. Estes desafios ainda insistem em impedir maior desenvolvimento do setor.

    Dessa forma, convidamos você a entender o atual panorama da agricultura 4.0 e quais são os desafios que produtores rurais terão que enfrentar para colocar as ferramentas digitais em prática. 

    Panorama da Agricultura 4.0 no Brasil

    Quando o assunto é agricultura 4.0, o agronegócio brasileiro está bem posicionado, principalmente pelo incessante trabalho de diversas agritechs que promovem a inovação tecnológica em diversas vertentes, do preparo do solo para plantio às estratégias de comercialização da produção.

    Entre as ferramentas mais utilizadas no agronegócio brasileiro, algumas merecem maior destaque, tais como:

    • Georreferenciamento, dedicado ao mapeamento da fertilidade do solo;

    • Máquinas equipadas com GPS e com variados sensores capazes de identificar e corrigir (se necessário) alguns manejos, sempre em tempo real;

    • Drones, que são capazes de fazer sobrevoos precisos para mapear grandes propriedades;

    • Piloto automático, responsável por automatizar o direcionamento de máquinas agrícolas na lavoura durante sua operação.

    • Telemetria. Representada pelos dados do GPS que permitem delimitar espaços da propriedade para analisar e automatizar diversos processos de uma produção agrícola.

    No entanto, mesmo que estejamos cada vez mais adaptados à agricultura 4.0, ainda há muito o que melhorar e superar. Por isso, a seguir, buscaremos retratar alguns dos principais desafios que ainda brecam e comprometem a evolução do agro 4.0 no Brasil.

     

    Desafios da agricultura 4.0 que ainda merecem atenção em 2022

    Na atualidade, a agricultura 4.0 é uma grande aliada do desenvolvimento agrícola, unindo alta produtividade com sustentabilidade e tomadas de decisão mais assertivas. Porém, em pleno 2022, seus agentes precisam enfrentar alguns desafios, tais como a falta de conectividade no meio rural, a escassez de mão de obra qualificada e o alto custo de algumas inovações.

    Falta de conectividade em áreas rurais 

    Este é um problema crônico no campo. Segundo dados de uma pesquisa da McKinsey & Company apenas 23% dos agricultores têm acesso à internet em toda a operação agrícola, com o número caindo para 13% em alguns segmentos, como o de algodão e o de grãos em algumas regiões.

    A boa notícia é que muitas iniciativas começam a oferecer uma internet de qualidade para regiões mais distantes dos grandes centros urbanos. Um exemplo é a iniciativa da ConectarAgro.

    A ConectarAgro é uma associação pioneira de empresas de tecnologia e telecomunicações que visa promover tecnologias abertas de conectividade de qualidade em todas as áreas rurais do país. Seu objetivo é oferecer internet 4G de 700 Mhz para a maioria das propriedades rurais brasileiras.  

    Escassez de mão de obra qualificada

    Este é outro desafio crônico do agronegócio brasileiro, principalmente para operar as tecnologias de agricultura 4.0. Um exemplo claro desse desafio é a escassez de trabalhadores com capacitação para operar veículos aéreos não tripulados (como drones, por exemplo), que são importantes representantes da agricultura de precisão.

    Para 2022 cabe ao setor ter o entendimento de que na agricultura 4.0 o perfil do trabalhador rural apresenta uma mudança significativa. Ele deixa de ser apenas um operador de máquinas e passa a se comportar como o principal responsável pela condução de tecnologias e identificação de possíveis falhas. 

    Exatamente por isso, atualizar as qualificações deve ser uma meta de todos que visam se inserir no mercado neste ano.

    Custos de algumas tecnologias de agricultura 4.0

    Muitos produtores rurais ainda são reticentes quanto à utilização de tecnologias de agricultura 4.0 pois ainda acreditam que elas são extremamente caras e inviáveis, sendo esse, um grande desafio na concepção deles. 

    No entanto, é difícil fazer uma análise completa sobre qual será o volume de investimento nestas tecnologias. Como existem diferentes níveis tecnológicos e diferentes maneiras de adotar as tecnologias de agricultura 4.0, a sugestão é optar pelas tecnologias que melhor se adequam às necessidades, afinal há ferramentas que podem funcionar em uma fazenda específica, mas que não podem não ser as mais adequadas para outra fazenda.

    Dessa forma, mesmo sendo um desafio para muitos produtores, engana-se quem acredita que a agricultura 4.0 é exclusividade apenas dos grandes produtores. Há ferramentas para todos os tamanhos de propriedades e para todos os bolsos, basta ter um planejamento mais alinhado às necessidades.

     

    Continue acompanhando o blog da Bipp e saiba muito mais sobre as novidades e inovações do agronegócio brasileiro.

Notícias Relacionadas